sexta-feira, 16 de agosto de 2013

MPE vai investigar suposta contaminação d'água em Porto Real do Colégio

O Ministério Público Estadual (MPE) segue a investigar as causas do surto de diarreia que se espalhou por quase 30 cidades alagoanas. E mesmo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) tendo anunciado que não mais há registro de surto em nenhum dos municípios, o promotor Max Martins, da Promotoria de Justiça de Porto Real do Colégio, decidiu instaurar inquérito civil público – conforme portaria publicada na edição desta quinta-feira (15) do Diário Oficial – para apurar a forma com a qual o Governo do Estado está a distribuir água no interior do Estado por meio de carros pipa.

Segundo a publicação, o promotor teria filmado, no último dia 06 de agosto, um caminhão pipa de placa KCI-4822, que estaria a prestar serviço à Prefeitura de Porto Real. Segundo a portaria, na oportunidade, o condutor do veículo coletou água em estado bruto, diretamente do Rio São Francisco, 'sem qualquer tipo de tratamento', no antigo ponto de travessia de balsas daquela cidade.

O local, reforça o promotor, encontra-se 'infestado de óleo de embarcações, sendo utilizado frequentemente para banhos em animais e para se lavar roupas'. Ou seja, a água seria inapropriada para o consumo humano. 

Com a portaria, o MPE agora vai iniciar as diligências que se fazem necessárias e requisitar à Prefeitura de Porto Real a relação de todos os carros pipas que se encontram à serviço do Município, a fim de que se verifique a condição de armazenamento d'água de cada veículo, além de notificar o secretário municipal de Saúde daquela cidade, que deverá prestar esclarecimentos sobre o flagrante.

A direção da Vigilância em Saúde Ambiental de Alagoas também será oficiada do problema, com o MPE a lhe solicitar informações sobre a existência de casos notificados de diarreia – supostamente provocados pela ingestão de água contaminada – no município de Porto Real.
Postado por: Euclides Avila - Coordenador de Comunicação

Nenhum comentário: