sexta-feira, 15 de março de 2019

SINDICATO DISPÕE DE UMA NOVA ESTRUTURA PARA ATENDER O SERVIDOR MUNICIPAL DE UNIÃO DOS PALMARES


A sede do Sindicato está com uma nova estrutura, trazendo mais comodidade para receber os servidores municipais.

Durante esta semana, no auditório do sindicato, os Agentes de  Combate às Endemias receberam um treinamento pela FUNASA cedida ao Estado.

Estamos com um espaço amplo e confortável, a disposição da categoria, que queira realizar reuniões, palestras, treinamentos, etc. A Diretoria do Sindicato vem trabalhando a cada dia para ofertar mais serviços aos nossos associados, esse é o nosso compromisso. A bandeira do sindicato é defender o servidor público municipal de União dos Palmares, sempre na luta por mais conquistas. Finalizou Tita do Sindicato. 
 



















Avenida Dr. Hermano Plech, nº 84, Centro -
Próximo ao Colégio Adventista



quinta-feira, 14 de março de 2019

APÓS COBRANÇA DO SINDICATO, O APOSENTADO DE UNIÃO DOS PALMARES RECEBE

Após cobrança realizada pelo Sindicato, os aposentados e pensionistas da Secretaria Municipal de Educação de União dos Palmares, receberam o salário mensalista de fevereiro/2019, neste dia 14 de março de 2019.

Não podemos abandonar esta categoria que prestou serviço de grande relevância na sala de aula, educando vários cidadãos palmarinos. Vamos continuar defendendo com força e com muito orgulho esta categoria. Finalizou Tita do Sindicato.



SINDICATO FAZ REIVINDICAÇÕS NA REUNIÃO DO CONSELHO DE SAÚDE DE UNIÃO DOS PALMARES


A Diretoria do Sindicato participou no dia 13 de março de 2019, da reunião do Conselho Municipal de Saúde de União dos Palmares. Estiveram presentes os membros do sindicato Tita do Sindicato, Marcia ACS, Eliane da Silva, Marcia Enfermeira e servidores de várias unidades.

No uso da palavra Tita do Sindicato cobrou da Secretária de Saúde, a resolução do PMAQ e dos processos administrativos dos servidores encaminhados pelo sindicato e outras pendências da categoria.


A Secretária de Saúde informou que irá realizar no dia 14//032019 uma reunião com a Coordenação do PMAQ e com os servidores que recebem o recurso. E que se reunirá com o setor jurídico da Secretaria para dar andamento nos processos administrativos.








quarta-feira, 13 de março de 2019

SINDICATO SOLICITA RELAÇÃO DO FGTS


 O Diretor Presidente Tita do sindicato, esteve no dia 13 de março de 2019, na Prefeitura Municipal de União dos Palmares, para tratar de assuntos de interesse da categoria e cobrou ao Secretário de Finanças, o pagamento dos aposentados e pensionistas da Secretaria Municipal de Educação, referente ao mês de fevereiro/2019.. 

O Secretário de Finanças, Sr. Anderson informou que o pagamento será realizado amanhã dia 14 de março. 

Também protocolou oficio na Prefeitura Municipal de União dos Palmares, solicitando ao Contador da Prefeitura, Sr. Lima, a relação que foi enviada para a Caixa Econômica Federal, da individualização do FGTS dos servidores municipais. Solicitou uma reunião com o Sr. Lima para saber a veracidade da relação.

Também encaminhou ofício ao Poder Legislativo Municipal solicitando apoio com a finalidade de obter as informações do Contador da Prefeitura.

O processo judicial impetrado pelo sindicato está em andamento na 7ª Vara Federal - AL,  Em sentença o Juiz Federal julgou procedente o pedido de liberação do FGTS e condenou o Município a informar o calendário/cronograma especificando os recolhimentos do FGTS de modo que identificassem as contas vinculadas dos servidores municipais.

Iremos aguardar a confirmação da data da reunião, e a comissão unificada dos dois sindicatos - SINTEAL E SINTPMUP E SERVIDORES, irão participar e acompanhar todo o processo. Com essa unificação e com o apoio do Poder Legislativo Municipal vamos trabalhar para que seja finalizado o processo. 

Entendo a ansiedade dos servidores para receber esse recurso. Mas, pedimos a compreensão de todos para que aguarde a conclusão do processo. Finalizou Tita do Sindicato.



terça-feira, 12 de março de 2019

SINDICATO SOLICITA ABERTURA DA MESA DE NEGOCIAÇÃO DO REAJUSTE SALARIAL 2019 DOS SERVIDORES DE UNIÃO DOS PALMARES

No dia 12 de março de 2019, Os Diretores do SINTPMUP, Tita do Sindicato e Emanoel Messias, estiveram na Prefeitura Municipal de União dos Palmares, para tratar de assuntos de interesse da categoria e entregar a pauta de reivindicações referente a dada base 2019 dos servidores municipais. 
Uma reunião será agendada para dar inicio as negociações da reposição salarial 2019. 

A Diretoria do sindicato deliberou uma comissão permanente de negociação salarial. Estamos aguardando a confirmação da data da reunião pelo Chefe de Gabinete do Prefeito. Logo após realizada esta reunião iremos convocar assembleia com a categoria para deliberar a contraproposta do gestor municipal.

Nos último anos, com as novas regras impostas pelo governo federal, trazendo dificuldades em vários municípios para que os servidores públicos não tenham aumento salarial. Em nosso município estamos na luta para garantir este ano o reajuste salarial da categoria. Finalizou Tita do Sindicato.


PAGAMENTO DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL DE UNIÃO DOS PALMARES


O Diretor Presidente Tita do sindicato, esteve no dia 08, na prefeitura para tratar de assuntos de interesse da categoria e para saber quando vai ser liberado o pagamento do mês de fevereiro dos restantes dos funcionários da secretaria municipal de saúde e da Administração geral, o secretário de finanças Anderson informou que será liberado amanhã dia 09.

Após a cobrança, o pagamento foi realizado no dia 09 de março de 2019.

A Diretoria do Sindicato Na luta Por Mais Conquistas.

sexta-feira, 8 de março de 2019

Sindicato dos Servidores Públicos de União dos Palmares realiza assembleia para deliberar reajuste salarial

Em assembleia geral, ocorrida o dia 01 de março de 2019, na nova sede do sindicato, que está localizado à Avenida Dr. Hermano Plech, nº 84, Centro - próximo ao Colégio Adventista, a categoria dos servidores públicos municipais de União dos Palmares, deliberaram sobre o Reajuste Salarial e a Pauta de Reivindicações 2019. 

A Diretoria do Sindicato junto a uma Comissão de servidores, encaminhará para o Gabinete do Prefeito, oficio solicitando a abertura imediata da Mesa de Negociação, para dar início à discussão das propostas apresentadas, lembrando que a data base dos servidores públicos municipais é neste mês de março.

Agradecemos as categorias que atenderem a convocação. É muito importante a participação nas assembleias, pois quem decide é o servidor, tivemos um debate muito importante e proveitoso.   

Às categorias que não estavam presentes e não deliberaram as suas reivindicações, iremos ver uma maneira para que sejam deliberadas e atendidas suas demandas. Finalizou Tita do Sindicato

Somos um sindicato forte e independente e Continuaremos na luta por mais conquistas. 









PIS-PASEP: confira as alterações do Abono salarial caso a reforma seja aprovada em 2019

PIS-PASEP: confira as alterações do Abono salarial caso a reforma seja aprovada em 2019. A nova proposta de reforma da Previdência apresentada ao Congresso Nacional, pelo governo federal, manteve a restrição ao pagamento do abono do PIS/Pasep apenas a quem trabalhou com registro formal no ano-base anterior por, pelo menos, 30 dias, recebendo até um salário mínimo mensal. Pela regra atual, têm direito o trabalhador que ganhou até dois pisos nacionais. Isso vai provocar uma grande redução no número de beneficiários.
Com isso, 23,4 milhões de trabalhadores deixarão de receber esse pagamento, ou seja, 91,5% do total, segundo dados do site especializado Trabalho Hoje.
Para ter o benefício, também é preciso estar inscrito no PIS/Pasep há, no mínimo, cinco anos. Essa regra foi mantida na proposta de reforma
Atualmente, os valores que cada um tem a sacar variam de R$ 84 a R$ 998, de acordo com o número de meses trabalhados formalmente no ano-base. A Caixa Econômica Federal paga o abono do PIS a trabalhadores da iniciativa privada. O Banco do Brasil (BB) libera o Pasep a servidores e funcionários de empresas públicas.
Salário-família
O benefício é pago ao trabalhador com carteira assinada que tem filho de até 14 anos ou inválido de qualquer idade. O texto da reforma, no entanto, cita um valor único a pagar: de R$ 46,54.
Hoje, há dois valores pagos pelo INSS. Para o segurado com salário de contribuição de até R$ 907,77, o valor do benefício é de R$ 46,54. Entre R$ 907,77 e R$ 1.364,43, o pagamento do adicional é de R$ 32,80.
Para pagar o salário-família, o INSS considera como remuneração mensal do segurado o valor total de seu salário de contribuição. Se a pessoa exerce duas atividades ou mais, leva-se em conta a soma dos ganhos. O 13º salário e o adicional de férias (bônus de 1/3) não são incluídos no cálculo.
Auxílio-reclusão
O valor do auxílio-reclusão, pago a dependentes de pessoas que contribuíam para a Previdência Social antes de serem presas (em regime fechado), também será limitado a um salário mínimo (hoje, de R$ 998). Esse também será o limite de renda exigido para o pagamento do benefício. Hoje, é preciso ter salário de contribuição igual ou inferior a R$ 1.364,43 para fazer jus ao auxílio, no mesmo valor.
O auxílio-reclusão é um direito garantido por lei ao trabalhador que contribuía para a Previdência Social — seja com carteira assinada ou como autônomo, microempreendedor ou trabalhador avulso — e cometeu um crime. Essas pessoas podem deixar um auxílio à família porque pagaram para isso, recolhendo mensalmente para o INSS.
Matéria extraída de: https://www.mixvale.com.br/2019/03/06/pis-pasep-confira-as-alteracoes-do-abono-salarial-caso-a-reforma-seja-aprovada-em-2019/

quinta-feira, 7 de março de 2019

CUT em defesa da Previdência Social e da organização sindical

Na véspera do Carnaval, Bolsonaro edita Medida Provisória cujo objetivo é sufocar sustento de sindicatos e centrais para aniquilar a organização sindical e barrar a luta contra a reforma
Nota sobre MP 873/19
O presidente Jair Bolsonaro e seu ministro da Economia, Paulo Guedes, usaram a máscara do Carnaval para produzir mais um ataque aos direitos da classe trabalhadora.  Às vésperas da festa que paralisa e inebria o País, editaram uma Medida Provisória com o objetivo descarado de enfraquecer a nossa principal luta neste momento, que é a defesa da Previdência e Seguridade Social.
Trata-se da MP 873/2019, que já está em vigor desde sexta-feira, 1° de março, e cuja tramitação no Congresso Nacional deverá ocorrer em paralelo com as mudanças que podem pôr fim ao direito de uma aposentadoria digna e encolher a rede de proteção social para milhões brasileiros(as).
Dessa vez, o alvo frontal de Bolsonaro e Guedes são os sindicatos e as Centrais Sindicais. Com a MP querem inviabilizar o custeio sindical, mesmo quando a taxa negocial a ser recolhida pelo trabalhador tiver sido aprovada pela maioria em assembleia geral.
Essa medida absurda, antidemocrática e inconstitucional visa retirar das entidades que legitimamente representam a classe trabalhadora os recursos que ainda lhes restam após a infame reforma trabalhista. Acreditam que, dessa forma, irão minar a nossa organização e força para enfrentar essa proposta de reforma da Previdência que mantém privilégios e empobrece o trabalhador.
Bolsonaro e Guedes estão muito enganados.
Não há Carnaval que consiga mascarar a intenção do governo de aniquilar a organização sindical por meio do estrangulamento do seu sustento.
A CUT e a classe trabalhadora estão cientes de que este governo se elegeu pela força da mentira e que segue divulgando informações falsas para governar. Por isso editaram essa MP às vésperas de um feriado prolongado, certos de que os brasileiros estarão inteiramente absorvidos pela festa mais popular do País. Mas protestos alegóricos nos blocos e desfiles em todo o País revelam que o povo já percebeu as manobras do Planalto.
A cada dia fica mais evidente que a reforma da Previdência e, agora, a MP 873/2019 representam ataques sem precedentes aos direitos dos trabalhadores, às organizações sindicais que os representam e, por consequência, ao estado democrático.
Nenhum país é realmente uma democracia sem sindicatos fortes. Essa Medida Provisória coloca em risco a sobrevivência dos entes sindicais.
Mas as manobras e mentiras do governo não vão obter êxito.
A CUT e suas entidades filiadas já estão construindo uma ampla unidade sindical e popular em defesa de uma Previdência e Seguridade social justas e efetivas. Unidade essa que também alimentará o enfrentamento contra mais esse ataque à soberania das assembleias e aos acordos celebrados entre sindicatos e patrões com aprovação dos trabalhadores(as).  
A MP ataca a prevalência do negociado sobre o legislado, que defenderam quando da votação da reforma trabalhista. Fere de morte o artigo 8° da Constituição da República e as convenções internacionais ratificadas pelo Brasil.
Com essa MP, o governo Bolsonaro declara guerra aos sindicatos porque sente que poderá não aprovar o  que tem chamado de “Nova Previdência”, exatamente pela capacidade das entidades sindicais de revelar suas mentiras.
Como a MP afeta as entidades sindicais 
A Medida Provisória ataca frontalmente o inciso IV do artigo 8° da Constituição federal, que estabelece de maneira explícita:
 “(…) a assembleia geral fixará a contribuição que, em se tratando de categoria profissional, será descontada em folha, para custeio do sistema confederativo da representação sindical respectiva, independentemente da contribuição prevista em lei”.
A MP também afeta as contribuições assistenciais ou negociais, estabelecidas de comum acordo com a classe patronal e aprovadas em assembleias abertas à participação de sócios e não sócios dos sindicatos.
Estabelece, ainda, que as contribuições sindicais autorizadas não poderão ser descontadas em folha de pagamento, mas sim ser pagas por meio de boletos que serão encaminhados à residência dos trabalhadores(as). Rompe-se, dessa forma, a sistemática de recolhimento feito diretamente pelo empregador e repasse ao sindicato prevista na Constituição Federal. Algo inacreditável, pois até dívidas de cartão de crédito do empregado(a) podem ser descontadas na folha de pagamentos e repassadas pelo empregador à instituição financeira.
O ataque à organização sindical se estende às entidades dos servidores públicos. Ao revogar o artigo 240 da CLT, Bolsonaro e Guedes atropelam direitos duramente conquistados e tentam calar as organizações dos servidores, visando incapacitá-las às lutas que desenvolvem contra os retrocessos que vitimam milhares de servidores públicos. O artigo 240 estabelece:
“Ao servidor público civil é assegurado, nos termos da Constituição Federal, o direito à livre associação sindical e os seguintes direitos, entre outros, dela decorrentes: (...) c) de descontar em folha, sem ônus para a entidade sindical a que for filiado, o valor das mensalidades e contribuições definidas em assembleia geral da categoria”.
A melhor forma de defender os direitos sociais sistematicamente atacados desde o golpe que tirou Dilma da Presidência e segue com o governo Bolsonaro é a mobilização solidária de todos os trabalhadores e trabalhadoras articulados por meio da organização sindical. É nossa tarefa histórica, democrática e constitucional representar a classe trabalhadora, lutar por seus direitos.
Somente a luta nas ruas e a pressão no Congresso Nacional evitarão a aprovação da reforma da Previdência e essa MP que tenta aniquilar as entidades sindicais. Essa luta que já começou, e está com ação nacional marcada para 22 de Março, tem que ser de todos e todas. Dos jovens que ainda vão entrar no mercado de trabalho, dos trabalhadores na ativa e dos aposentados, porque todos são ou serão prejudicados. Temos de mobilizar o trabalhador em cada palmo do País para pressionar de forma organizada e intensa os parlamentares.
Com a nossa pressão sobre o Congresso Nacional em 2018 conseguimos que reforma da Previdência de Temer fosse para o lixo. Temos de repetir essa mesma estratégia de pressão sobre deputados federais e senadores para conseguir derrotar a proposta de Bolsonaro que aniquila a Previdência e a MP 873/2019 que ataca a vida financeira dos entes sindicais.
Em defesa de uma Previdência e Seguridade Social que assegurem uma vida e uma aposentadoria digna para todos e todas e contra mais esse ataque à organização sindical, a CUT conclama todo o movimento sindical e os movimentos sociais  a lutarem para que o Congresso Nacional e o Poder Judiciário rejeitem a MP 873/2019.
 Vagner Freitas, presidente nacional da CUT
 02 DE Março de 2019
Matéria extraída de: https://www.cut.org.br/noticias/cut-em-defesa-da-previdencia-social-e-da-organizacao-sindical-ee40

BLOCO SERVIDOR FOLIA DE UNIÃO DOS PALMARES - ANO I


No primeiro dia carnaval,  02 de março de 2019, o Bloco do Servidor Público Municipal de União dos Palmares saiu da praça Padre Cícero, às 21 horas, acompanhando outros blocos pela rua Tavares Bastos, rua Marechal Deodoro da Fonseca, encontrando-se com o bloco a franga da madrugada.

Esse ano a prefeitura realizou um processo licitatório, tipo: Chamada Pública para que pessoas físicas ou jurídicas apresentassem projetos de blocos de carnaval, do qual o bloco do servidor foi contemplado com a quantia de R$, 1.000,00 (mil reais).

Fizemos um bloco simples mais com muita animação com os servidores que puderam acompanhar e caíram na folia com o servidor folia.

Nos surpreendeu a quantidade de servidores querendo participar, mas os abadás que distribuímos gratuitamente foi limitado.

Neste próximo ano a Diretoria do Bloco vai trabalhar em um projeto que possa atender todos os servidores que queiram participar do servidor folia 2019.

Nos anos anteriores fazíamos "O Grito do Servidor" no clube social do servidor público municipal. Neste ano foi a primeira participação do Bloco Servidor Folia no carnaval de rua, foi muito divertido, com muita animação, espero que no próximo ano a Diretoria do Bloco realize o segundo ano do bloco. Finalizou TITA DO SINDICATO.

BLOCO SERVIDOR FOLIA

REALIZAÇÃO:                                                                                                                        PATROCÍNIO: